sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Mostrando uma coisitas que fiz... :P

Olaa, vim mostrar neste meu cantinho umas coisas que fiz este ano lá na escola.
Decoração do Berçário:




Meu Caderno Pedagógico

Semana que vem tem mais fotinhas, falta tirar e fazer algumas coisas ainda.
Bjss

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

PORQUE OS AMORES SE PERDEM

( Letícia Thompson )

O mais difícil de entender
quando os amores acabam, são os porquês.
Por que duas pessoas que se encontraram
e se encantaram, viveram um amor
que parecia indestrutível, se separam?

Por quê o amor geralmente acaba de um lado só
e é o outro que fica chorando
e querendo entender as razões?

Costumo comparar casais a chave e fechadura.
Nem toda chave abre todas as portas
e é necessário encontrar aquela exata
que vai se encaixar perfeitamente
e tudo será possível.

Amores deveriam ser eternos,
mas nem sempre são.
Mas a gente acredita
Que cada vez que alguém toca nosso coração
e entra, que é definitivo.

Um casal que se apaixona de início,
sem que um tenha tido o tempo
de desnudar o outro nas suas verdades,
acredita nessa chama e até briga
por ela muitas vezes.

E cria-se sonhos, planeja-se o futuro...
Enquanto isso os dias vão passando,
toma-se menos cuidado em manter a magia
e a parte dos dois que é mais sonhadora
começa a sentir-se incomodada.

Dá medo.
Medo de ter que olhar bem nos olhos
da realidade e dizer: Acabou!
Medo de ter que se confessar a si próprio
que ainda não foi aquela vez!

Medo da solidão, de ter que recomeçar...
Não são as decepções que matam o amor.
Se assim fosse,
não existiriam perdões e reconciliações.

O que mata o amor é simplesmente
a tomada de consciência
de que o outro não é o ser sonhado.

É como acordar
depois de um longo sono e lindos sonhos.

O outro está ali, é a mesma pessoa,
mas aquela neblina que dava a impressão
de irrealidade já não mais existe.

E isso não acontece da noite para o dia,
como se costuma pensar.

É algo que vem com os dias,
os hábitos, as monotonias.

Um percebe, o outro não.
Um começa a se sentir angustiado
e o outro continua acreditando
ou finge que acredita.

E quando a gota que faz transbordar o vaso
chega é o mundo todo que desmorona.

Porém, tudo não fica definitivamente perdido.
Sobra de um lado a dor, e os porquês,
um resto de amor que teima em ficar
no fundo como o vinho envelhecido na garrafa
e do outro o coração dividido
por não poder reparar erros cometidos
e a vontade de continuar em busca
de outros horizontes.

Sobra para os dois a ternura
e a lembrança dos momentos passados juntos.

Por que corta-se relacionamentos,
mas não se apaga momentos,
mesmo que a gente queira.

Vivido é vivido, feliz ou infelizmente.
Inútil é querer resgatar um amor
que resolveu partir pra outras direções.
Quanto mais apega-se, mais ele se afasta.

E quanto mais se afasta,
mais dói no outro a incompreensão.

É uma roda da qual é difícil de sair.

E é uma pena,
pois os corações não merecem isso.

Quando a questão é amor,
não existe justo ou injusto.

Existe o que ama, e o que não ama mais.

Precisamos aceitar
que o outro não tenha os mesmos sentimentos,
mesmo se isso nos faz mal,
por que se o amor não for livre
para se instalar onde realmente deseja,
ele perde toda a razão de ser.

Não, eu não estou me separando não, mas ja conheço esse texto à tempo e vejo muitos casais se separando, por isso resolvi compartilhar.
Gostaria que ningém passasse por momentos dolorosos assim.
Uma vez plantado no coração, o amor deveria ser eterno!

Bjsss

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

PARA QUÊ SERVE UMA RELAÇÃO?

Dráuzio Varella

Uma relação tem que servir para você se sentir 100% à vontade com outra pessoa, à vontade para concordar com ela e discordar dela, para ter sexo sem não-me-toques ou para cair no sono logo após o jantar, pregado.
Uma relação tem que servir para você ter com quem ir ao cinema de mãos dadas, para ter alguém que instale o som novo enquanto você prepara uma omelete, para ter alguém com quem viajar para um país distante, para ter alguém com quem ficar em silêncio sem que nenhum dos dois se incomode com isso.
Uma relação tem que servir para, às vezes, estimular você a se produzir, e, quase sempre, estimular você a ser do jeito que é, de cara lavada e bonita a seu modo.
Uma relação tem que servir para um e outro se sentirem amparados nas suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar as diferenças que há entre as pessoas, e deve servir para fazer os dois se divertirem demais, mesmo em casa, principalmente em casa.
Uma relação tem que servir para cobrir as despesas um do outro num momento de aperto, e cobrir as dores um do outro num momento de melancolia, e cobrirem corpo um do outro quando o cobertor cair.
Uma relação tem que servir para um acompanhar o outro ao médico, para um perdoar as fraquezas do outro, para um abrir a garrafa de vinho e para o outro abrir o jogo, e para os dois abrirem-se para o mundo, cientes de que o mundo não se resume aos dois.

Drauzio Varella é médico cancerologista, formado pela USP. Nasceu em São Paulo, em 1943.Este seu artigo está sendo divulgado pela internet.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Imagens Engraçadas...

Coisinhas pra descontrair:

























PS: Se alguém souber dos respectivos donos das imagens, avisem-me para que eu possa dar os devidos créditos.

sábado, 20 de fevereiro de 2010


CANCELAMENTO DA TAXA TELEFÔNICA - COMO PROCEDER:

Ligue 0800-619619, telefone da Câmara dos Deputados Federal.
Ouça o menu, aperte 1 e espere a opção eletrônica. Aperte 1 novamente e por fim digite 1, que é para votar a favor do cancelamento da taxa de telefone fixo.
Entrando em vigor essa lei, você só pagará pelas ligações efetuadas, acabando com esse roubo que é a assinatura mensal. Este projeto está tramitando na 'COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR', na Câmara.


As regrinhas são simples:


- Divulgar o selinho;
- Divilgar as regras;
- Divulgar o Projeto de Lei nº 5476/2001 e a importância de cada uma de nós ligarmos e votarmos a favor do cancelamento da taxa telefônica;
- Ligar para 0800-619619 e dê seu voto;
- Indicar 8 blog amigos.


Não vou indicar ninguém especificamente, quem quiser levar o selinho pode ficar a vontade!!!
Bjs

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Mais um selinho


Raquel Morais


Agora seguem as regrinhas:


*Indicar de quem recebeu...

Raquel Moraes: Lindinhaaa Moraes

dietanota10ari.blogspot.com/ ~>Da minha florzinha Ariana.

*Indicar 5 amigas :

•·.·´¯`·.·• VIVER E EDUCAR COM ARTE •·.·´¯`·.·•


Blog da Faby

A HISTERIA FEMININA


Sonho de mãe

Pra ser feliz preciso...


*Responder as seguintes perguntas:

1. Qual cidade você mora?

Cruz Alta RS

2. Trabalha em que?

Em Educação Infantil.

3. Gosta do que faz?

Amo.

4. Empregado ou patrão?

Funcionária pública.

5. Se não trabalhasse nisso, o que faria?

Trabalharia e pretendo trabalhar como professora de Língua Portuguesa.

6. Trabalharia em um setor administrativo ou como professora?

Profe tia rsrsrs

7. Como é a sua rotina?

Trabalho, casa, marido, pc kkkkkk

8. O que faria se ganhasse na mega hoje?

Tanta coisa...

Valeu por me escolher amiga!!

Bjos



sábado, 13 de fevereiro de 2010

Você já se sentiu assim?

21 Armas
Você sabe pelo que vale a pena lutar,
Quando não vale a pena morrer?
Isso te deixa sem ar?
E você se sente sufocando?
A dor supera o orgulho?
E você procura por um lugar para se esconder?
Alguém partiu seu coração por dentro?
Você está em ruínas

Um, 21 armas
Abaixe suas armas
Desista da luta
Um, 21 armas
Levante os seus braços
Para o céu
Você e eu

Quando você está no fim do caminho
E você perdeu todo o senso do controle
E seus pensamentos aceitaram seus pedágios
Quando sua mente quebra o espírito de sua alma
Sua fé caminha sobre cacos de vidro
E a ressaca não passa
Nada foi feito para durar
Você está em ruínas

Um, 21 armas
Abaixe suas armas
Desista da luta
Um, 21 armas
Levante os seus braços
Para o céu
Você e eu

Você já tentou viver por conta própia?
Quando você incendiou casa e o lar?
Você ficou próximo demais do fogo?
Como um mentiroso buscando o perdão de uma pedra

Quando é tempo para viver e deixar morrer
E você não consegue tentar de novo
Algo dentro desse coração morreu
Você está em ruínas

Um, 21 armas
Abaixe suas armas
Desista da luta
Um, 21 armas
Levante os seus braços
Para o céu


Um, 21 armas
Abaixe suas armas
Desista da luta
Um, 21 armas
Levante os seus braços
Pra o céu
Você e eu
(Tradução de 21 Guns, de Green day)

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

A amazônia é nossa!!!


Essa merece ser lida, afinal não é todo dia que um brasileiro dá um esculacho educadíssimo nos americanos!

Durante debate em uma universidade, nos Estados Unidos,o ex-governador do DF, ex-ministro da educação e atual senador CRISTÓVAM BUARQUE, foi questionado
sobre o que pensava da internacionalização da Amazônia.

O jovem americano introduziu sua pergunta dizendo que esperava a resposta de um Humanista e não de um brasileiro.

Esta foi a resposta do Sr.Cristóvam Buarque:

"De fato, como brasileiro eu simplesmente falaria contra a internacionalização da Amazônia. Por mais que nossos governos não tenham o devido cuidado com esse patrimônio, ele é nosso.

"Como humanista, sentindo o risco da degradação ambiental que sofre a Amazônia, posso imaginar a sua internacionalização, como também de tudo o mais que tem importância para a humanidade.

"Se a Amazônia, sob uma ética humanista, deve ser internacionalizada, internacionalizemos também as reservas de petróleo do mundo inteiro.O petróleo é tão importante para o bem-estar da humanidade quanto a Amazônia
para o nosso futuro. Apesar disso, os donos das reservas sentem-se no direito de aumentar ou
diminuir a extração de petróleo e subir ou não o seu preço."

"Da mesma forma, o capital financeiro dos países ricos deveria ser
internacionalizado. Se a Amazônia é uma reserva para todos os seres humanos, ela não pode ser queimada pela vontade de um dono, ou de um país.
Queimar a Amazônia é tão grave quanto o desemprego provocado pelas decisões arbitrárias dos especuladores globais. Não podemos deixar que as reservas financeiras sirvam para queimar países inteiros na volúpia da especulação.

"Antes mesmo da Amazônia, eu gostaria de ver a internacionalização de todos os grandes museus do mundo. O Louvre não deve pertencer apenas à França.
Cada museu do mundo é guardião das mais belas peças produzidas pelo gênio humano. Não se pode deixar esse patrimônio cultural, como o patrimônio natural Amazônico, seja manipulado e instruído pelo gosto de um proprietário
ou de um país. Não faz muito, um milionário japonês,decidiu enterrar com ele, um quadro de
um grande mestre. Antes disso, aquele quadro deveria ter sido internacionalizado.

"Durante este encontro, as Nações Unidas estão realizando o Fórum do Milênio, mas alguns presidentes de países tiveram dificuldades em comparecer por constrangimentos na fronteira dos EUA. Por isso, eu acho que Nova York,
como sede das Nações Unidas, deve ser internacionalizada. Pelo menos Manhattan deveria pertencer a toda a humanidade. Assim como Paris, Veneza, Roma, Londres, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, cada cidade, com sua beleza específica, sua historia do mundo, deveria pertencer ao mundo inteiro.

"Se os EUA querem internacionalizar a Amazônia, pelo risco de deixá-la nas
mãos de brasileiros, internacionalizemos todos os arsenais nucleares dos EUA. Até porque eles já demonstraram que são capazes de usar essas armas, provocando uma destruição milhares de vezes maiores do que as lamentáveis queimadas feitas nas florestas do Brasil.

"Defendo a idéia de internacionalizar as reservas florestais do mundo em troca da dívida. Comecemos usando essa dívida para garantir que cada criança do Mundo tenha possibilidade de COMER e de ir à escola.
Internacionalizemos as crianças tratando-as, todas elas, não importando o país onde nasceram, como patrimônio que merece cuidados do mundo inteiro.

"Como humanista, aceito defender a internacionalização do mundo.
Mas, enquanto o mundo me tratar como brasileiro, lutarei para que a Amazônia
seja nossa. Só nossa!


DIZEM QUE ESTA MATÉRIA NÃO FOI PUBLICADA, POR RAZÕES ÓBVIAS. AJUDE A
DIVULGÁ-LA, SE POSSÍVEL FAÇA TRADUÇÃO PARA OUTRAS LÍNGUAS QUE DOMINAR.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Legalll



Ganhei hoje meu segundo selinho, lindo por sinal!! Brigada Amanda
http://praserfelizpreciso.blogspot.com/



Regras do selinho:


- Postar e dizer quem indicou

- Indicar 5 blogs para receber o selinho:

http://dietanota10ari.blogspot.com/
http://fabiflor27.blogspot.com/
http://telmacantinho.blogspot.com/
http://donaencrenca30.blogspot.com/
http://excessodeexuberancia.blogspot.com/

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Meu primeiro selinho!!!

Ganhei esse selinho da amiga hellenmae http://hellenmae.blogspot.com/ .
Valeu amiga por me escolher!!! Bjs

Regras:

1. Você terá que aceitar e colocar em seu blog, juntamente com o nome da pessoa que lhe deu o prêmio e o link do seu blog;

2. Você terá que oferecer o prêmio para 15 blogs que são merecedores deste prêmio.E não se esqueça de avisá-los sobre a indicação.


Bem, ai vai as indicadas:

AnaehAzedaMasehDoce
BebelinA
Betina a bordo!
Cantinho da Telma
Coisas de Lane ...
Dizem que o amor...
Diário de uma Mãe
Dona Encrenca e sua luta di...
Esperando nosso Milagre no ...
Excesso de Gostosura
Kaíque
Mamy do João
Nunca te vi sempre te ameii...
Pikorruxa
Pra ser feliz preciso...

Podem pegar o selinho aqui ok? Bjss

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Ainnn!!!

Hoje é meu ultiminho dia de férias, estou com saudades dos meus pimpolhos, estou com vontade de retormar ao trabalho sim, mas só de pensar em trabalhar um ano inteirinho me da uma aflição, rsrsrs
Sei que sou feliz por teu meu trabalho todos os anos, estive a ponto de ter que abrir mão dele e hoje só valorizo mais e mais, amo tudo que faço!!!! Dizem que gostando da profissão a gente trabalha melhor, não sei se sou tão boa assim, mas gosto muito do que faço e amo as crianças como se fossem minhas, isso conta uns pontinhos pra mim, e pra elas, rsrsrs
Este ano... Sabe pra mim amanha vai parecer ano novo, porque vai ser quando meu ano vai começar de verdade, vou ter menos tempo pra mim, pro meu blog, pras minhas amigas, porém posso fazer o que gosto, o que sei e o que me realiza.
Voltando ao Este ano... quero que este ano seja diferente, ano passado passei por muitas coisas, aliás, passamos eu e Zé, muita coisa nos abalou, também muita coisa que ocorreu para o nosso bem, como acredito que tudo na vida seja também, mas não quero repetir nem a pau, rsrsrs, mudei radicalmente muitas coisas, tive sorte, tive azar de quase desistir dos meus sonhos, mas graças a Deus hoje estou mais firme e forte do que antes, decidida a fazer deste ano melhor do que o que passou, aprender mais, viver mais, amar mais, demonstrar mais o meu amor pelas pessoas e principlamente me aproximar mais de Deus, pois devo tanta coisa a Ele... Este ano eu quero que seja mais positivo, tudo de bom que seja +.
Prometo que venho loguinho contar as novidades.
Bjos!!!
Lindo lindo... indicação da minha amiga jo, valeu de coração!!!!
Por tudo!

A arte de calar - pps

Para aumentar as imagens cliquem em "full"

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

A última viagem de táxi

(Um emocionante depoimento de um taxista)
Houve um tempo em que eu ganhava a vida como motorista de táxi. Os passageiros embarcavam totalmente anônimos. E, às vezes, me contavam episódios de suas vidas, suas alegrias e suas tristezas...
Encontrei pessoas que me surpreenderam. Mas, NENHUMA como aquela da noite de 25 para 26 de julho do último ano em que trabalhei na praça!
Havia recebido já tarde da noite uma chamada vinda de um pequeno prédio de tijolinhos, em uma rua tranqüila do subúrbio de Belo Horizonte, capital das Minas Gerais.
Quando cheguei ouvia cachorros latindo longe. O prédio estava escuro, com exceção de uma única lâmpada acesa numa janela do térreo.
Nestas circunstâncias, outros teriam buzinado duas ou três vezes, esperariam só um pouco e, então, iriam embora.
Mas, eu sabia que muitas pessoas dependiam de táxis como único meio de transporte a tal hora. A não ser, portanto, que a situação fosse claramente perigosa, eu sempre esperava...
"Este passageiro pode ser alguém que necessita de ajuda", pensei. Assim, fui até a porta e bati. "Um minutinho", respondeu uma voz débil e idosa.
Ouvi alguma coisa ser arrastada pelo chão... Depois de uma pausa longa, a porta abriu-se. Vi-me então diante de uma senhora bem idosa, pequenina e de frágil aparência!
Usava um vestido estampado e um chapéu bizarro daqueles usados pelas senhoras idosas nos filmes da década de 40! E se equilibrava numa bengala, enquanto segurava com dificuldade uma pequena mala...
Dava para ver que a mobília estava toda coberta com lençóis. Não haviam relógios, roupas ou adornos sobre os móveis. Num canto jazia uma caixa aberta com fotografias e vidros...
A velha senhora, esboçando então um tímido sorriso de quem havia já perdido todos os dentes, pediu-me:
"O senhor poderia me ajudar com a mala?"
Eu peguei a mala e ajudei-a caminhar lentamente até o carro. E enquanto se acomodava ela ficou me agradecendo...
- "Não é nada, apenas procuro tratar meus passageiros do jeito que gostaria que tratassem minha velha mãe"... - "Oh!, você é um bom rapaz!"
Quando embarcamos, deu-me um endereço e pediu:
- "O senhor poderia ir pelo centro da cidade?"
- "Este não é o trajeto mais curto", alertei-a prontamente.
- "Eu não me importo... Não estou com pressa... Meu destino é o último! O asilo dos velhos"...
Surpreso, eu olhei pelo retrovisor. Os olhos da velhinha brilhavam marejados... - "Eu não tenho mais família e o médico me disse que tenho muito pouco tempo"...
Disfarçadamente desliguei o taxímetro e perguntei:
-"Qual o caminho que a senhora deseja que eu tome?"
Nas horas seguintes nós dirigimos por toda a cidade. Ela mostrou-me o edifício na Praça 7 em que havia, em certa ocasião, trabalhado como ascensorista...
Nós passamos pelas cercanias em que ela e o esposo tinham vivido como recém-casados. E também pela Igrejinha de São Francisco, na Pampulha, onde comemoraram Bodas de Ouro!
Ela pediu-me que passasse em frente a uma loja de móveis na região da Praça da Liberdade, que havia sido um grande salão de dança que ela freqüentara quando mocinha!
De vez em quando, pedia-me para dirigir vagarosamente em frente a um edifício ou esquina. Era quando ficava então com os olhos fixos na escuridão, sem dizer nada... E olhava. Olhava e suspirava...
E assim rodamos a noite inteira... Quando o primeiro raio de sol surgiu no horizonte, ela disse de repente:
"Estou cansada... E pronta! Vamos agora!"
Seguimos, então, em silêncio, para o endereço que ela havia me dado. Chegamos a um prédio rodeado de árvores, uma pequena casa de repouso.
Dois atendentes caminharam até o taxi, assim que paramos. Eram amáveis e atentos e logo se acercaram da velha senhora, a quem pareciam esperar.
Eu abri o porta-malas do carro e levei a pequena valise até a porta. A senhora, já sentada em uma cadeira de rodas, perguntou-me então pelo custo da corrida.
- "Quanto lhe devo?", ela perguntou, pegando a bolsa.
- "Nada!", eu disse.
- "Você tem que ganhar a vida, meu jovem"
- "Há outros passageiros", respondi.
Quase sem pensar, curvei-me e dei-lhe um abraço. Ela me envolveu comovidamente e devolveu-me com um beijo afetuoso e repleto da mais pura e genuína gratidão! E disse:
- "Você deu a esta velhinha bons momentos de alegria, como não tinha há tanto tempo... Só Deus é quem sabe o quanto você fez por mim! Obrigada, MEU AMIGO! Mil vezes obrigada!!!"
Apertei sua mão pela última vez e caminhei no lusco-fusco da alvorada sem olhar para trás, pois as lágrimas corriam-me abundantes pela face...
Atrás de mim uma porta foi fechada. Era o som do término de uma vida... Naquele dia não peguei mais passageiros. Dirigi sem rumo, perdido nos meus pensamentos. Mal podia falar.
Dois dias depois, tomei coragem e voltei no asilo para ver como estava a minha mais nova amiga. Me disseram, então, que na noite anterior adormecera para sempre, em paz e feliz...
E fiquei a pensar, se a velhinha tivesse pego um motorista mal-educado e raivoso... Ou, então, algum que estivesse ansioso para terminar seu turno...
Óh, Deus! E se eu houvesse recusado a corrida? Ou tivesse buzinado uma vez e ido embora?... Ao relembrar, creio que eu jamais tenha feito algo mais importante na minha vida até então!
Em geral nos condicionamos a pensar que nossas vidas giram em torno de grandes momentos. Todavia, os GRANDES MOMENTOS freqüentemente nos pegam desprevenidos e ficam guardados em recantos que quase todo mundo considera sem importância... quando nos damos conta... já passou.
Fonte: Don Rico